PDC

3850 posts

Polícia Federal: A Lei é Para Todos

Do início do processo até a condução coercitiva do ex-presidente Lula, a Operação Lava Jato desencadeia uma série de investigações sobre a corrupção no Brasil.

Durante a realização da Operação Bidone, a Polícia Federal apreende no interior um caminhão carregado de palmito, que trazia escondido 697 kg de cocaína. A investigação recai na equipe montada por Ivan Romano (Antonio Calloni), sedida em Curitiba e composta também por Beatriz (Flávia Alessandra), Júlio (Bruce Gomlevsky) e Ítalo (Rainer Cadete). As conexões do tráfico os levam ao doleiro Alberto Youssef (Roberto Birindelli) e, posteriormente, ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa (Roney Facchini), que revela uma imensa estrutura envolvendo construtoras e o governo, de forma a desviar dinheiro público. À medida que a investigação avança, o grupo liderado por Ivan se aproxima cada vez mais de alguns dos políticos mais influentes do país.

Crítica do Adoro Cinema

Em um momento político complicado e marcado por uma radicalização de todos os lados, um filme como Polícia Federal – A Lei é Para Todos se revela um grande desafio por parte de quem procura analisar o produto como obra cinematográfica. Isso porque boa parte dos leitores já entram no cinema esperando o que achar. E, por consequência, rejeitam qualquer crítica de venha de encontro com o que eles acham que o filme representa.

Embora tenha problemas sérios de discurso, é importante destacar que o problema principal do filme não é ser de esquerda ou de direita. A grande questão é que se trata de uma obra falha do ponto de vista de desenvolvimento narrativo.

Pensado como primeira parte de uma trilogia, o longa até tenta se mostrar imparcial através de uma série de fases de efeitos e referências sobre pegar o outro lado. Há, inclusive, sugestões claras de que a delação da JBS e as acusações contra Aécio Neves farão parte de uma eventual continuação. No entanto, parece claro que o filme assume uma posição à direita no aspecto político. O que, por si só, não é um problema, mas que acaba se tornando um diante de algumas escolhas bem maniqueístas, que culminam em uma sequência de críticos finais muito tendenciosa e até desonesta, ao pegar uma série de frases soltas de investigados.

Codiretor de Qualquer Gato Vira-Lata 2 e Até que a Sorte nos Separe 3, Marcelo Antunez assume aqui a cadeira de diretor sem uma pessoa ao seu lado. Tendo em vista o fato de todos seus trabalhos recentes serem comédias, o cineasta até surpreende na construção de momentos de tensão. Especialmente na sequência que abre o filme, que é a captura do empresário Alberto Youssef. É uma cena bem desenvolvida e de impacto visual, como deve ser num bom policial. Antunez, com a ajuda do roteiro de Gustavo Lipsztein e Thomas Stavros, consegue fazer bem a ligação entre como a apreensão de um caminhão de palmito levou até uma importante investigação anticorrupção.

Por outro lado, como ficção, o filme falha no desenvolvimento de seus personagens. Polícia Federal se assume quase como um longa de super-heróis em alguns momentos, em especial quando vemos a formação da equipe da PM responsável pela investigação em Curitiba. O problema é que mesmo em filmes de super-heróis, os estúdios já perceberam que o público não quer mais saber de personagens sem falhas. E é o que acontece aqui. Temos vários heróis perfeitos lutando para salvar o Brasil. Que sejam boas pessoas no mundo real, pouco importa, aqui fica a clara impressão que o roteiro faz de tudo para tornar seus protagonistas em mártires. Por exemplo, vemos um investigador largando tudo algumas vezes para cuidar dos pais, temos o juiz que só é visto ao lado da família e com os alunos, e muitos momentos de confraternização e amizade entre todos. Todos os conflitos são relativos à investigação e a maioria deles solucionados rapidamente.

Se os “heróis” são bem desenvolvidos, o mesmo não se pode dizer sobre os “vilões”. E nem falo de abordar qualidades ou pontos positivos dos antagonistas, mas ao menos oferecer figuras com mais camadas. São várias as abordagens caricatas dos criminosos, com direito a uma doleira tomando champanhe em uma banheira enquanto trata de seus crimes. Só faltou o vilão que joga xadrez sozinho. É aí que entra a figura de Lula, vivido pelo ótimo Ary Fontoura, tratado como pessoa arrogante e chula. O ator apresenta uma performance repleta de escolhas ruim, a começar por tentar imitar a voz do ex-presidente, que leva a uma gargalhada geral no cinema em meio a uma cena séria. Dentro do princípio da suspensão da realidade, era até melhor que o ator não tentasse reproduzir o tom de voz.

Se o Lula de Fontoura é uma caricatura em si, cabe elogiar o trabalho de Antonio Calloni como o delegado Ivan, líder da investigação. O ator passa muita humanidade ao personagem e é o único que parece refletir sobre a situação como um todo. O restante do elenco não compromete, embora também não sejam ajudados pelo roteiro, que oferece linhas como “Se tem um jabuti numa árvore é porque alguém colocou ali”, algo que é repetido inúmeras vezes ao longo da produção. Parece comédia, mas não é.

Cinema e propaganda estiveram lado a lado por toda história. Polícia Federal seria ao menos mais honesto se assumisse sua posição política, confirmada através de elementos já citados e de uma postura extremamente didática sobre alguns fatos e observações provenientes das investigações. É comum vermos a personagem de Flávia Alessandra reexplicando algo que tinham acabado de explicar, como se quisesse impregnar na cabeça do espectador o que está sendo dito.

BRASZIL – Os 3 Passos do SISTEMA LEC®

DOMINAR INGLÊS

Braszil® foi cuidadosamente desenhado e desenvolvido para atender às suas necessidades como brasileiro interessado em dominar o inglês.

O aplicativo, portanto, não trata de mera versão de algo produzido no exterior, mas toda uma sistemática foi criada visando o aprendizado, do usuário brasileiro.

FORMATO DE JOGO

O “interface” em formato de jogo facilita a compreensão e também torna o aprendizado divertido, além de ser um desafio contra o relógio com pontos a serem ganhos, ou perdidos, em cada módulo.

SISTEMA DE LÓGICA

As dicas (Tips), sistema (System) e ajuda (Help) fornecem opções para guiar seu aprendizado, utilizando nosso sistema de ensino – Lógica Empírica Comparativa®. Ao finalizar cada exemplo, você pode ainda treinar a sua pronúncia através do Pronounce botão.

MÓDULOS SEMANAIS

Conforme seu progresso, módulos mais avançados serão apresentados no formato de módulos pagos (In-App Purchases), com questões cada vez mais difíceis, introduzindo novas áreas de estudo, e novos módulos oferecidos a cada semana.

TREINAR Á VONTADE

lém de seus dados, seu perfil contém todos os módulos pagos já baixados e você poderá treinar com esses módulos quantas vezes desejar.

ACUMULAR PONTOS

Além de pontuar durante os módulos, seus pontos valem na troca de brindes, e ainda podem subir de nível e desafiar seus amigos a entrarem no Aplicativo e tentarem pontuar melhor que você.

RECURSOS PRINCIPAIS:

  • Sistema de Ensino inédito – Lógica Empírica Comparativa®
  • 04 níveis – iniciante – básico – intermediário – avançado
  • Quantidade ilimitada de questões com upload semanal
  • Tela de jogo inédita com aspecto lúdico e pedagógico
  • Função Sistema com tudo que você precisa para dominar a língua
  • Funções Dicas e Ajuda para esclarecer cada questão e apresentar cada resposta trabalhada em detalhes
  • Pontuação contra-relógio com escalada no grau de dificuldade
  • Botão Pronúncia para treinar cada questão
  • Opção de retornar e treinar módulos comprados quantas vezes quiser
  • Placar com sua nota e a melhor nota na comunidade de cada módulo
  • Módulos agrupados por temas e situações

Lorena e Rafaela: Políticos de Terceiro Mundo

Música que estará no próximo CD de Lorena e Rafaela, prestem atenção na letra da música!

“A vida do justo não vale um centavo
Que o ser honesto seja bem-aventurado
Nesse país corrupto, e endividado
De beleza e cultura nem sempre valorizados

Cidadão levanta cedo para ver o seu salário
Ser roubado por pessoas que não fazem seu trabalho
Quem tem maior orgulho em dizer: Sou do senado!
Mas por trás da cara boa só tem verba desviada

O povo está cansado de aguentar todo esse peso
Carregando nas costas quem devia estar preso
Para obter justiça veio o plano lava-jato
Condenando e punindo, nem um será perdoado

Das escolas e hospitais o dinheiro é roubado
Pra encher conta bancária do político folgado
Resultado da ganância é a falta de recursos
A situação se torna insuportável para muitos

Pela grande campanha, se tornam famosos
Mas esquecem das crianças, jovens e idosos
É proposta a escolha entre o sujo e o banal
Só a cara é diferente, o resultado é igual

Esquecem que muitos vivem na pobreza
Se arriscando para ter o pão sagrado em sua mesa
O peso dos deveres o trabalhador aguenta
Mesmo sabendo que golpistas nos representam

Damos nossa confiança à pessoas no congresso
Por isso estamos hoje afundados no regresso
Para garantir silêncio, funcionário é subornado
São ladrões engravatados em um sistema fraudado

Hoje você sabe tudo, amanhã não sabe nada
É assim que uma mente, por um cheque é comprado
Promessas de obras, todas sem fundo
Políticos de terceiro mundo”

Contato: (34) 992-884-894 / (34) 988-214-560
Email: [email protected]

Legendadores: Hoje termina uma parceria e encerramos o projeto!

É caros amigos, o que começou como um projeto meio assim sem querer, depois passou a infinitas possibilidades, hoje encerramos definitivamente.

Para quem não conhecia, o Legendadores não seria apenas um dos maiores sites de legendas da internet, mas também uma forma de qualquer um poder legendar e divulgar suas legendas, diretamente, sem intermediário e até ganhando com isso, na divisão de lucros.

Por meio de uma plataforma exclusiva, o site passaria a compartilhar tudo o que lucrasse com seus legenders, diretamente, de acordo com a quantidade de participações que este teria dentro do site.

Mas ia muito além disso, além de meramente criamos legendas para filmes (piratas) na internet, ofereceríamos o serviço de legendas para empresas, eventos, redes de televisão e afins.

Mas não deu. Tudo começou de forma amadora, com o tempo fomos ganhando agregados e integrantes, as ideias eram mil, as possibilidades infinitas, mas depois de quase um ano de processos e trabalho, o interesse em continuar, a participação e principalmente as legendas, deixaram a desejar, e muito.

Assim, o Grupo Pé de Cogumelo, criador e desenvolvedor do projeto, extingue-o definitivamente. É uma pena, pois tínhamos possibilidades, recursos, pessoal, vontade, e até clientes, mas faltou interesse e “mãos-a-obra”.

Talvez o serviço continue, em parte, por meio de nossa parceira e grande amiga, a Agência GiroBr, que hoje temos uma sociedade. Mas não será mais como antes, mas ainda assim não deixaremos nossos clientes atuais e futuros na mão.

Avisa os cogumelos que eu FICO!

Legendadores: Onde os melhores legenders se encontram!
Legendadores: Onde os melhores legenders se encontram!